TRADUTOR (TRANSLATE)

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Feijão - Variedades

Se você acha que conhece feijão, dá uma espiadinha na lista abaixo, que são as principais variedades encontradas no Brasil. Segundo algumas publicações, existem no mundo algo em torno de 40.000 variedades que podem ser produzidas, apesar de que apenas uma fração disto é produzido em volume para consumo da população.



Feijão Azuki

Sua vagem é menor que o feijão comum. Possui forma arredondada, pequeno e de cor vermelho escuro, com sabor levemente adocicado. Bastante utilizado na culinária asiática para fazer doces. Entre suas propriedades estão auxiliar o controle da pressão arterial e sua ação diurética.



Feijão Badajó
Seus grãos são da cor bege com manchas avermelhadas. Trata-se de um feijão pouco conhecido e encontrado em feiras de Salvador na Bahia. Apresenta um sabor que lembra a castanha.



Feijão Borlotti ou Romano
Feijão típico da culinária italiana. São grãos graúdos, coloridos em tom rosa-marron com listras marrom avermelhadas. Apresenta sabor adocicado, com uma textura suave e cremosa. Depois de cozidos perdem o colorido, ficando em tom marrom claro. Sua característica é de não produzir caldo. Depois de cozidos parecem capsulas recheadas com purê de feijão. Podem ser usados no preparo de sopas e caldos.

Feijão Branco
Formato alongado e de cor branca, sendo que seus grãos proporcionam um caldo cremoso.
Seu consumo retarda a absorção de açúcar no sangue e ajuda a emagrecer, uma vez que possui faseolamina, nutriente que inibe o processo de digestão do carboidrato. É indicado para sopas, saladas e cassoulets.




Feijão Canário, Bolinha ou Manteiga
Com grãos totalmente arredondados e de cor amarelada, é conhecido por diferentes nomes, conforme a região.
É indicado para saladas ou sopas, sendo muito utilizado na culinária portuguesa








Feijão Cannellini
è um feijão branco, graúdo, com formato que lembra um rim, com cor branco amarelada. Originário da região central e sul da Itália, especialmente na Toscana. Depois de cozido, apresenta uma textura macia e um sabor ligeiramente suave que lembra noz. Devem ser muito bem lavados antes de cozinhar.








Feijão Carioca
É a variedade mais cultivada e consumida no Brasil, ocupando mais de 85% do mercado.
Seus grãos possui formato arredondado de cor creme com listras marrons, com caldo marrom e denso e rápido cozimento. É também conhecido como feijão chilli.
É usado na culinária indiana.






Feijão de bico
É o nosso conhecido grão-de-bico, também conhecido como ervilha indiana, que é nativo do Oriente Médio. É um dos grãos comestíveis mais ricos em proteínas e seu sabor lembra o de castanhas e nozes, com textura bem firme.




Feijão De corda
É o feijão que se usa para fazer o baião de dois. Na realidade é o mesmo que o feijão Fradinho, pois o nome científico dos dois é o mesmo: "Vigna unguiculata".






Feijão Fradinho
Também conhecido também como feijão-macassar ou feijão-de-corda, possui um formato arredondado de cor clara com o “olho” preto. É muito utilizado na culinária baiana, sendo o feijão usado para fazer a massa do acarajé. É também bastante utilizado em saladas.
Possui elevado valor nutritivo e energético. Quando colhido antes da fase de maturação, recebe o nome de feijão verde, sendo largamente utilizado na cozinha regional nordestina.




Feijão Jacinto
Em primeiro lugar é importante dizer que é um feijão venenoso, pois contém uma substância letal chamada cianureto. Cresce como uma trepadeira e suas vagens são roxa escura.


É também chamado de feijão indiano, feijão egípcio ou bulay. É uma variedade amplamente cultivada em regiões tropicais como a Índia, Indonésia e África.
É consumido por muitos habitantes das Filipinas, que os consomem colhendo as vagens mais novas, pois quanto mais velho mais veneno possuem. São colocadas a secar na sombra, para evitar que os raios ultra-violetas aumentem a concentração do veneno. É sempre cozido com a panela aberta, para liberar as toxinas. Não sendo bem preparado, quem os consome pode ficar com a boca dormente, ficar sonolenta e até morrer.


Feijão Jalo
Seus grãos são grandes, alongados e amarelados. Uma de suas características é que quando cozido, forma um caldo encorpado marrom avermelhado. Tem um sabor delicado que lembra um pouco o de castanhas. É usado em tutus, virados, saladas e sopas. Existem ainda algumas receitas que o combinam com massas, no preparo de pastas temperadas e purês.
É mais consumido em Minas Gerais e na Região Centro-Oeste.



Feijão Jalo Roxo
Com grão maior que o Jalo comum, e coloração vermelho escuro intensa. Indicado para saladas e sopas. Bastante consumido em São Paulo, Minas Gerais e Goiás.





Feijão Mangalô
É uma espécie de trepadeira semelhante a ervilha-torta, mas de sabor bastante diferenciado. Pelo fato de apresentar um leve amargor, seus grãos devem ser aferventados antes de serem cozidos em definitivo.
É também conhecido como feijão-farinha, fava-belém,orelha-de-padre ou mangalô-amargo, podendo ser consumido ainda na fava ou em grãos já maduros. Originário das Américas e consumido em diversas regiões do mundo, adaptou-se facilmente ao nordeste brasileiro.
Pode ser consumido em grão, ou ainda na fava, tipo ervilha torta.
Quando corretamente preparado, é saboroso, incrementando muito bem saladas, sopas e ensopados,
É uma variedade muito resistente a pragas.



Feijão Moyashi
Possui formato arrendondado e cor esverdeado. Este tipo de feijão é de fácil digestão e reduz sintomas de TPM. Também conhecido como broto de feijão, sendo muito utilizado na culinária japonesa. Ótimo para omeletes, sopas e saladas.





Feijão Mulatinho
Seu grão é em tonalidade de marrom e sem listras, produzindo um caldo um pouco mais avermelhado, sendo um bom acompanhamento e em algumas regiões é usado até na elaboração de feijoada.




Feijão Mungo
Seus grãos são no formato ovóide, pequenos e com cor verde amareladas. Possui grande valor alimentício e propriedades medicinais, sendo também conhecido como feijão-da-china.





Feijão Olho de Cabra



Seus grãos têm cerca de três centímetros de comprimento e são achatados, apresentando um belo colorido, malhados de preto ou vermelho. Aqui no Sul é também conhecido como Favica.

São usados em sopas e saladas. Depois de cozidos, perdem esta cor, passando a apresentar uma cor arroxeada. Possuem um sabor muito agradável.



Feijão Preto
Seus grãos são pequenos e de cor preta, possui alto valor nutritivo, sendo rico em fibras, ferro, fósforo, ácido fólico, potássio e proteínas, sem contar vitaminas e minerais.
É encontrado durante todo o ano, sendo utilizado na tradicional feijoada. Para que seus nutrientes sejam melhor absorvidos, precisam ser consumidos junto com outros alimentos que contenham vitamina C, tipo couve e laranja.
Possui uma textura aveludada, e mantem sua forma depois de cozido.
É consumido no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, ele também é utilizado na culinária Mexicana.





Feijão Rajado
Com grãos graúdos e cor rosado, é um pouco mais claro que o carioquinha e suas listras possuem tom avermelhado. Seu caldo depois de cozido, é encorpado e saboroso, muito semelhante ao feijão Jalo. É um feijão próprio para acompanhamento.
Muito consumido em São Paulo, Minas gerais e região Sul.



Feijão Rosinha
De grão pequeno e casca delicadas, sua cor apesar do nome, tende mais para vermelho suave do que para marrom. É rico em fibras, auxiliando no funcionamento do intestino e no controle do colesterol.
É de cozimento rápido, caldo claro, suculento e saboroso, sendo que seus grãos absorvem muito bem os temperos.
É bastante consumido no Mato Grosso, Pará, Goiás e São Paulo.







Feijão Roxinho
Seu grão é miúdo, escuro e avermelhado, apresentando uma textura macia e sabor bastante intenso
É o feijão mais popular em Minas Gerais e Goiás, sendo também consumido em São Paulo.
É utilizado em saladas, sopas e como acompanhamento.







Feijão Verde
Grãos pequenos e verdes, é também conhecido como o grão da vagem verde. Na prática são os grãos da vagem do feijão fradinho colhida bem antes da maturação. Não produz caldo, sendo indicado para saladas. Bastante consumido no Nordeste.



Feijão Vermelho (chamado de cavalo em alguns lugares)
De grão avermelhado e pequeno, com sabor forte e encorpado e é muito utilizado na culinária francesa para preparar sopas.


PS: As imagens aqui apresentadas foram obtidas na Internet.

domingo, 26 de julho de 2015

Moqueca de Tilápia com camarão Pitú

INGREDIENTES (serve 3 pessoas)

2 Tilápias cortadas em postas (aproximadamente 1 Kg de peixe limpo) 
4/5 camarões pitú grandes
6 tomates maduros
3 cebolas médias
3 dentes de alho
Coentro a gosto
Salsa a gosto
2 col sopa azeite de dendê
1 garrafinha de 200 ml de leite de coco 
1 limão
Azeite de oliva ou óleo 
Sal, pimenta do reino e pimenta vermelha  a gosto 



MODO DE PREPARO 
Tempere o peixe com sal, pimenta-do-reino e um pouco de suco limão. Deixe pegar gosto por umas duas horas.
Tempere os camarões com um pouquinho de sal.
Pique os tomates, a cebola, o alho, a salsa e o coentro
Em uma panela alta, de preferência de barro, coloque o azeite e deixe ficar bem quente.
Refogue a cebola e o alho. Adicione os tomates. Mexa e cozinhe até que o tomate comece a desmanchar. 


Adicione o leite de coco e o azeite de dendê, e mexa bem. 
Coloque metade da salsa e do coentro e pimenta vermelha caso queira. 
Coloque as postas de peixe e deixe cozinhar por aproximadamente 5 minutos e coloque os camarões pitu por cima. Corrija o sal e pimenta e tampe a panela, deixando cozinhar até o peixe estar no ponto desejado.


Desligue o fogo. Adicione o restante da salsa e do coentro e sirva, acompanhado de arroz, farofa e/ou pirão. 



sábado, 25 de julho de 2015

Arroz com Pinhão, Bacon e Tempero verde


INGREDIENTES

2 xícaras de pinhão cozido
1 1/2 xícara de arroz branco
1 cebola picada
1 folha de louro
3 xícaras de água fervendo
100 g de bacon em tirinhas
2 dentes de alho picados
Azeite de oliva
Sal e pimenta do reino

MODO DE PREPARO

Corte os pinhões em pedaços médios (cada um em 3 ou 4 partes, e guarde alguns para decorar) e reserve.

Leve uma panela média ao fogo e  aqueça o azeite. Coloque a cebola e misture. Quando começar a dourar, adicione o arroz e mexa bem. Deixe refogar por um ou dois minutos e junte a água fervendo, a folha de louro e o sal.


Deixe a panela semi tampada  no fogo até que a água seque e os grãos estejam cozidos e soltinhos.
Deixe descansar por 5 minutos com a panela tampada.
Em uma frigideira grande, aqueça uma colher de sopa de azeite e coloque o bacon.
Deixe  até que o bacon esteja dourado e sequinho.


Tire o excesso de gordura, junte o alho e,  adicione os pinhões, sal e pimenta do reino.
Deixe no fogo por uns dois minutos, acrescente a salsa, misture e retire do fogo.


Misture este refogado de pinhão ao arroz pronto e sirva imediatamente, utilizando pinhões inteiros e ramos de salsa para decorar.
Sirva com salada verde.



Sopa Feijão Branco, lula e linguiça

INGREDIENTES

400 grs de feijão branco (você também pode usar o vermelho, mulatinho)
300g de lula cortada em anéis (eu utilizei metade em anéis e metade de cabeças de lula)
250 grs linguiça do tipo calabresa ou paio, sem pele e cortada em meias luas
1 pimentão vermelho sem sementes, cortado em cubinhos
1 cebola média picada 
3 dentes de alho picados
1 tomate picado
Azeite de oliva
1 col sopa de extrato de tomate
2 col sopa de páprica doce 
1 col chá rasa de páprica picante
2 col chá de cominho em pó
suco de 1/2 limão
2 folhas de louro
sal e pimenta do reino moída a gosto
água

MODO DE PREPARO

No dia anterior lave os grãos e faça o remolho dos mesmos, colocando-os em uma tigela e cobrindo com água. Leve a geladeira por 24 horas e troque a água  pelo menos umas 4 vezes durante este período. Quando for utilizar o feijão, não aproveite esta água.
Coloque algo em torno de 2 a 3 litros de água para ferver e reserve.
Em uma panela alta (eu usei a panela de pressão), coloque o azeite e leve ao fogo médio. Quanto estiver quente, coloque a cebola e o pimentão, baixe o fogo e refogue até estarem macios.


Acrescente o alho, refogue e adicione a páprica (doce e picante).  Misture bem acrescente o tomate e o estrato de tomate, mexendo bem para soltar tudo do fundo da panela.


Coloque na panela a linguiça, e deixe refogando por uns 3 minutos. Acrescente a lula, tempere com sal, pimenta e o suco de limão, e misture bem.


Adicione o feijão, o cominho em pó e o louro. Misture bem, fazendo com que o feijão fique totalmente envolvido pelo refogado.


Junte a água, corrija o sal e pimenta, cozinhe até o feijão estar cozido e o caldo encorpado. Em panela normal, este cozimento pode levar até 3 horas. Eu fechei a panela de pressão, e depois que começou a ferver, deixei 20 minutos, desliguei o fogo e esperei sair toda a pressão. Terminei o cozimento com a panela aberta. Foi bem mais rápido.


Durante o cozimento, se o caldo for secando, acrescente mais água.
Caso goste de pimenta, você pode acrescentar uma pimenta mais forte.
Sirva acompanhado de fatias de pão.


quinta-feira, 23 de julho de 2015

Batatas Hasselback

Esta receita é originária da Suécia, onde é preparada com manteiga, sal e condimentos. Eu resolvi dar uma incrementada, aproveitando o que tinha na geladeira, e diga-se de passagem ficou magnífica.

INGREDIENTES

2 Batatas inglesas grandes
3 colheres de bacon picado
Azeite de oliva
Sal e Pimenta do Reino
2 colheres sopa de mozarela de búfala picada
alecrim
2 dentes de alho picados
2 colheres sopa de queijo parmesão ralado

MODO DE PREPARO

Coloque as batas para cozinhar em uma panela com água e um pouco de sal. Depois que começar a ferver, deixe aproximadamente de 5 a 8 minutos até ter certeza de que estão firmes mas não mais apresentam aquela resistência de batata crua (estejam macias, isto é importante para que depois do cozimento no forno, não fiquem ainda cruas no fundo). Desligue o fogo, escorra em água fria e deixe esfriar. 


Em uma frigideira, coloque o bacon e refogue rapidamente, não deixando que frite. Reserve.


Fatie as batatas, mas não vá atá o fim do corte, de modo que todas as fatias fiquem ligadas pela base.
Espalhe o alho entre as fatias, o que já irá ajudar que as mesmas fiquem um pouco afastadas.
Espalhe azeite de oliva entre as fatias.
Coloque o alecrim, e a mozarela de búfala entre cada fatia.


Com a ajuda de uma colher, coloque um pouco de bacon entre cada fatia, espalhando eventualmente o que sobrar por cima. 
Espalhe sal e pimenta do reino.
Polvilhe o queijo parmesão por sobre as batatas. Regue com mais um pouquinho de azeite e leve ao forno preaquecido a 200 graus por aproximadamente 40 minutos ou até ter a certeza de que estão cozidas.




segunda-feira, 20 de julho de 2015

Bolo de Tangerina

INGREDIENTES

Para o bolo:
2 xíc chá de açúcar
1 xíc chá de óleo
2 xíc chá de farinha de trigo
1 colher chá fermento
3 ovos
1 pitada de sal
3 tangerinas com casca

Para a calda:
3 tangerinas (apenas o suco)
3 colheres sopa de açúcar

MODO DE PREPARO


No liquidificador, bater os ovos, o óleo, o açúcar e as tangerinas cortadas e as cascas (tire o máximo que puder dos fiapos brancos e sementes).
Coloque esta mistura em uma tigela e adicione a farinha com o fermento e o sal. 




Unte uma forma de buraco no meio com óleo e enfarinhe-a.
Coloque a massa dentro da forma e leve a forno pré-aquecido a 180º, durantre cerca de 60 minutos, dependendo do forno. Faça o teste do palito, para ter a certeza do cozimento, uma vez que esta massa é pesada e muito molhada.
Coloque o suco das tangerinas em uma caçarola, junte o açúcar, e leve ao fogo baixo até levantar fervura. Deixe ferver por 2 minutos.
Quando o bolo estiver cozido retire-o do forno e desenforme-o. Coloque a calda por cima do bolo, uniformemente, até ficar bem úmido. Deixe esfriar antes de servir.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...